sexta-feira, outubro 22, 2010

DAVID MOURÃO-FERREIRA


Brilha nas mãos do sol o gume de um cutelo
O pescoço da Lua é que há-de ser o alvo

***

Os meses vão batendo à nossa porta
Sempre fingindo que são deuses diversos

***

TRENO

Ai a tua nudez Ai a tua mudez
Ó taça de cristal sobre veludo preto

Quando voltas de novo a ser aquele vento
que antes do amor se começa a mover

Poemas do livro Matura Idade, (1ª edição 1973) reeditado (8ª edição) pela Arcádia, 2010.

Sem comentários: