segunda-feira, julho 14, 2014

NÃO HÁ PACHORRA PARA A ALEMANHA



A Alemanha enjoa, chateia. Não há pachorra para a Alemanha, o país que acabou de ganhar a copa do mundo, depois de humilhar Portugal (4-0) e o Brasil (7-1). Agora, na final a Alemanha ganhou à Argentina (1-0). Vivemos sob um asqueroso império alemão – frau Merkel manda na União Europeia sem que para isso tenha algum mandato democrático. Os portugueses, como os gregos e outros povos do sul da Europa têm sofrido, nos últimos anos, esse despotismo alemão. É bom lembrar que os avozinhos dos jogadores que ganharam a copa – não todos, mas alguns – participaram, directa ou indirectamente, no Holocausto. A raça ariana está em forma. Hitler ia gostar, como Merkel gostou. Até na Volta à França há um alemão a liderar. Não há pachorra para esta Alemanha. O seu jogo é táctica mais capacidade física – um imenso calculismo, uma gelada frieza. A esta Alemanha nada importa as consequências da austeridade. Para esta Alemanha o outro não existe, apenas existem os resultados quer sejam desportivos ou financeiros. Não há pachorra para esta Alemanha. 

Quem perdeu esta copa não foi tanto a Argentina, mas o Brasil. Ou melhor: nem foi o Brasil mas Dilma. O povo brasileiro talvez perdoasse os gastos na construção dos estádios se o Brasil ganhasse a copa. Mas o Brasil foi humilhado pela Alemanha, como nunca tinha sido num jogo de futebol. Dilma perdeu as próximas eleições, a realizar em Outubro, na passada terça-feira enquanto o Brasil era goleado pelos teutónicos. Agora as manifestações vão voltar, porque o povo brasileiro não pode perder duas vezes.  

Sem comentários: