segunda-feira, setembro 28, 2015

A GRANDE MENTIRA DE PASSOS COELHO



Nunca ninguém mentiu tanto na política portuguesa como Passos Coelho e o seu governo. Nunca ninguém, depois do 25 de Abril, prejudicou tanto os portugueses como o governo liderado por Passos Coelho. E, no entanto, as chamadas sondagens, sem valor científico que a RTP e TVI apresentam diariamente dão uma vantagem à coligação. Creio que estas sondagens se enquadram também na mentira, a grande mentira que tem sido este governo PSD/CDS. Veja-se que estas “sondagens” são feitas telefonando para casa de pessoas com telefone fixo. No entanto, outra sondagem apresentada pelo Expresso/SIC dava um empate técnico entre PaF e PS. E isso é grave. É grave que depois de quatro anos de destruição de um país ainda existam pessoas que vão na grande mentira mediática, no grande conto do vigário, de quem fez tudo para que Portugal fosse forçado a pedir um empréstimo à troika; de quem foi além das medidas da troika, de quem tem os cofres cheios num país empobrecido que vai sobrevivendo, como pode, à custa da baixa de alguns produtos. É grave, muito grave, se no próximo domingo, Passos & Portas (e Vítor Gaspar e Miguel Relvas – ainda se lembram deles?), os grandes mentirosos, os responsáveis pela saída do país de cerca de meio milhão de pessoas, os que queriam roubar aos trabalhadores para dar aos empresários (lembram-se da TSU?), os do “aumento colossal de impostos” (onde anda Vítor Gaspar?), os que governaram sempre contra a Constituição, os que privatizaram tudo o que havia para privatizar, os que cortaram pensões, 13º mês e subsídio de férias, os que se vergaram perante o poder despótico da Alemanha, enfim os que tudo fizeram para que os portugueses sofressem, ganhassem agora as eleições. É certo que uma vitória da coligação a ocorrer será por minoria e é a esquerda que terá maioria na Assembleia da República. Mas será que os portugueses são masoquistas? Gostam de ser roubados nos seus salários ou outros rendimentos por impostos colossais e injustos? Ou será que as mensagens passadas nas televisões pelos comentadores (comendadores) mor Marques Mendes e Marcelo Rebelo de Sousa, e por outros em vários jornais do Correio da Manhã ao Expresso conseguiram fazer passar a grande mentira? É certo que António Costa depois de tanto entusiasmo se revelou uma decepção. O líder socialista pouco promete alterar às políticas que PSD / CDS impuseram aos portugueses. Como decepar a deusa Austeridade? Como governar contra a austeridade concordando com o tratado orçamental que nos impõe um défice que não podemos cumprir? Como governar com uma dívida de 130 por cento sem a renegociar? A isto Costa passa ao lado. Mas se o PS não se revela uma alternativa à política de austeridade que graça pela Europa do sul, a mando da Europa protestante do norte, destruindo vidas, isso não quer dizer que se vá votar nos bandidos políticos da PaF. Há pelo menos 16 outras alternativas, para além da abstenção e do voto nulo ou branco. Então, o que se passa? Como é isto possível? Nem o rotativismo político parece funcionar. Esperemos pelo bom senso, contra a grande mentira de Passos Coelho e dos que lhe obedecem.  

Sem comentários: