segunda-feira, dezembro 17, 2012

BANDITISMO NO PODER


Este governo não é só criminoso porque está a atirar pessoas para a miséria, porque está a desmantelar o Estado Social – saúde, segurança social, educação – que é o suporte de vida de muita gente em Portugal; este governo não é só criminoso porque rouba as reformas aos pensionistas, o resultado de uma vida de trabalho para sobreviver com alguma dignidade; este governo não é só criminoso porque está a fazer retrocessos nunca vistos no regime laboral, levando os direitos dos trabalhadores para o nível do salazarismo, criando um desemprego que para muita gente – os que têm mais de 30, 40 anos – será para o resto das suas vidas. Este governo é também criminoso porque está a liquidar, a privatizar, as últimas empresas que na maior parte dos estados democráticos estão nas mãos do Estado porque tanto a nível simbólico como económico e estratégico devem pertencer ao Estado. Ora sobre este processo de últimas privatizações, de que a EDP foi o primeiro exemplo, começa-se a levantar um pouco do véu de nebulosidade. O Público de hoje, sobre a escandalosa privatização da TAP ao preço da chuva, revela como o energúmeno ministro Relvas reuniu há mais de um ano com o tal Efromovich, o único interessado em comprar a TAP, e como este Efromovich está ligado a outro vigarista brasileiro, José Dirceu envolvido no escândalo do mensalão, de quem Relvas é amigo. Ou seja, começa a ser claramente notório que este governo é constituído, quer no sentido moral, político e constitucional, mas também agora no sentido jurídico por um bando de criminosos. Sobre o “dr.” Relvas, e pelo seu currículo, não restam dúvidas que mais tarde ou mais cedo, terá o destino dos amigos de Cavaco do BPN. Sobre os outros, Coelho, Gaspar, Borges, Mota Soares, Nuno Crato (veja-se a reportagem da TVI sobre os colégios da empresa GPS), é necessário que os cidadãos se mobilizem, que acordem outra vez, e sigam o exemplo da Islândia.

Sem comentários: