quarta-feira, dezembro 05, 2012

"UM ABAIXO-ASSINADO QUE VAI CONTRA O ESTADO DE DIREITO E AS REGRAS ELEMENTARES DA DEMOCRACIA"


Maria João Rita Filomena Pinto da Cunha de Avilez Van Zeller, nascida em 1945 numa família da aristocracia lisboeta. Conhecida como jornalista (Expresso, SIC, RTP, agora) e escritora (uma biografia sobre F. Sá-Carneiro, entrevistas com Mário Soares, etc) pelo singelo nome de Maria João Avilez. O Van Zeller, pormenor de não despicienda importância, é o nome de casada, que lhe deu a semente para mais quatro Van Zeller’s verem a luz deste mundo cão. Ora a D. Maria João Rita Filomena Pinto da Cunha de Avilez Van Zeller foi chamada a fazer serviço público na RTP-1 aos Domingos à noite, depois do Telejornal, num programa cujo título é Termómetro Político. Acompanham-na nesse programa o director do Diário de Notícias, João Marcelino, o director do Jornal de Negócios, Pedro Santos Guerreiro e o moderador Carlos Daniel. O programa consiste em dar notas a 4 figuras políticas e comentar a razão das notas. Concorre com a actuação do professor Marcelo na TVI. Sobre a pluralidade do programa, se os nomes não fossem suficientes, bastava ver uma pequena amostra. Mas o programa tem picos que demonstram o carácter dos intervenientes, neste caso de Maria João Avilez. Afirma a excelsa aristocrata jornalista no último programa sobre a carta dirigida ao primeiro-ministro cujo primeiro signatário foi Mário Soares: “Um abaixo-assinado que vai contra o Estado de Direito e as regras elementares da democracia”. Portanto, para a senhora dona Maria João quando um grupo de cidadãos num Estado democrático escreve ao primeiro-ministro para este abandonar as políticas que estão a liquidar a economia, ou demitir-se, isso é um acto contra o Estado de Direito. Será contra o estado como o concebe a senhora Van Zeller – mas esse já não é um Estado de direito, mas tão só de direitos para alguns privilegiados – os Van Zeller’s deste mundo cão.

Sem comentários: