quinta-feira, dezembro 11, 2014

ANTÓNIO OSÓRIO

 

Amo-te
com pressa
de não acabar o amor

*
BOSCH, O INÍCIO

I   Tríptico das Delícias

Enquanto Adão, Eva e o mais
eram criados, um gato abocava
o primeiro rato.
Iníludivel a prepotência
do felino. Adão soerguido
Eva desejava, nudez sua. E Deus
abençoava os seus viventes
consagrando o bem e o mal que lhes fizera.

António Osório, Emigrante do Paraíso, s/l [edição brasileira, antologia dos primeiros livros, com prefácio de Carlos Nejar] Massao Ohno-Roswitha Kempf / editores, 1981

Sem comentários: